SAÚDE BUCAL

“Garantir uma rede de atenção básica articulada com toda a rede de serviços e como parte indissociável desta; [...] assegurar a integralidade nas ações de saúde bucal, articulando o individual com o coletivo, a promoção e a prevenção com o tratamento e a recuperação da saúde da população adstrita.” Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Brasil Sorridente 2012


Prêmio foi entregue no dia 14 de abril no Rio de Janeiro

Três municípios catarinenses – Criciúma, Florianópolis e Porto União – tiveram desempenho de destaque ficando entre os cinco primeiros colocados no Prêmio Brasil Sorridente 2012.  O prêmio foi nstituído em 2005 pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), através da Resolução nº 065/2005, com o objetivo de incentivar as Prefeituras e premiar anualmente o município brasileiro que mais se destacar no atendimento odontológico da rede pública de saúde. O o prêmio foi entregue dia 14, durante as comemorações de aniversário da instituição dos CROs, no Rio de Janeiro. Entre os integrantes da comitiva catarinense, que irá participar da cerimônia, está o Presidente do CRO-SC, Profº Dr. Élito Araújo.
O prêmio é uma forma de avaliar o atendimento odontológico da rede pública de saúde e serve de exemplo e motivação para as cidades vizinhas daquelas que estão recebendo a distinção.  “A iniciativa é importante porque valoriza os projetos realizados pelo serviço público na área de odontologia”, afirma João Carlos Caetano, que preside a comissão do CRO-SC responsável pela análise dos cases e escolha dos selecionados.
Porto União, Criciúma e Florianópolis foram os municípios catarinenses que se destacaram nacionalmente. O município de Porto União ficou em segundo lugar no grupo das cidades até 50 mil habitantes; Criciúma em quarto lugar entre os municípios até 300 mil habitantes e Florianópolis em quinto em sua categoria (acima de 300 mil moradores). O vencedor em cada uma das categorias recebe um consultório odontológico completo; do segundo ao quinto lugar, uma placa alusiva, e os demais participantes um diploma.
Entre os critérios de avaliação, ao todo 10, estão a relação entre a população, o número de cirurgiões-dentistas da rede pública e a carga horária mensal de trabalho, a cobertura populacional alcançada pelas equipes de saúde bucal e o menor índice de cárie dental em estudantes até 12 anos, segundo normas da Organização Mundial da Saúde (OMS).
“Este prêmio é importante porque valoriza os projetos realizados pelo serviço público na área de odontologia”, afirma João Carlos Caetano, que preside a comissão do CRO-SC responsável pela análise dos cases e escolha dos selecionados. “Além disso, tem ainda o efeito demonstração, já que serve de exemplo e motivação para as cidades vizinhas daquelas que estão recebendo distinção”, diz ele, que é professor doutor na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e coordenador de Saúde Bucal da Secretaria Estadual de Saúde
Além de João Carlos Caetano, que é professor doutor na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e coordenador de Saúde Bucal da Secretaria Estadual da Saúde, fazem parte da comissão os professores doutores Ana Lúcia S. Ferreira de Mello, Calvino Reibnitz Júnior, Daniela G. Neumann e Mirelle Finkler.
A premiação é comemorativa à instituição dos Conselhos Regionais (CROs), que data de abril de 1968 e por isso é entregue neste mês. O vencedor de cada uma das categorias recebe um consultório odontológico completo; do segundo ao quinto lugar, uma placa alusiva e os demais participantes um diploma.
Ao todo, são dez critérios que devem ser atendidos como, por exemplo: a relação entre a população, o número de cirurgiões dentistas da rede pública e a carga horária mensal de trabalho, a cobertura populacional alcançada pelas equipes de saúde bucal e o menor índice de cárie dental em estudantes até 12 anos, segundo normas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Florianópolis é considerada a quinta melhor cidade acima de 300 mil habitantes nos serviços de saúde bucal do país. Mas já foi muito melhor: nos dois últimos anos era a segunda. A chefe do Departamento de Saúde Bucal do município, Marynes Reibnitz, diz que o trabalho não decaiu.

- O concurso ficou reconhecido e mais municípios passaram a participar. Os nossos projetos continuam se destacando. Temos atendimento emergencial nas unidades de pronto atendimento do Sul e Norte da ilha, especialistas nas policlínicas do Continente e Centro e o agendamento do serviço básico é feito semanalmente.
Também é relevante o índice médio de cárie nas crianças com 12 anos: é de 0,77 dente por morador da faixa etária, ou seja: menos de um dente.
Na primeira infância, existe um programa específico. Quando nascem, os bebês recebem atenção já na maternidade. As mães são orientadas sobre a higiene bucal do filho. Têm garantido o primeiro atendimento um mês depois e retorno semestral até os seis anos de idade. Quando entram na escola, recebem orientações e kits com escova, fio e pasta dental.

Revista CRO-SC. Ano 2, n. 2. 2012
Diário Catarinense, 14 de abril. 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

AAAA**************************ÚLTIMAS POSTAGENS*************************AAAA

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

Todos os 49 (quarenta e nove) Centros de Saúde de Florianópolis possuem atendimento odontológico. São realizadas atividades de prevenção como profilaxias, aplicação de selantes e de flúor gel, restaurações dentárias, extrações.

No ano de 2008 foram realizados mais de 140.000 procedimentos odontológicos pelos 85 (oitenta e cinco) Cirurgiões-Dentistas dos Centros de Saúde.

Atendimento domiciliar com equipo portátil

As equipes de Saúde Bucal dos Centros de Saúde têm disponíveis equipamentos odontológicos portáteis para auxiliar em atendimentos domiciliares para pacientes acamados, quando não é possível que estes pacientes vão às unidades de saúde para receberem o atendimento.

*******COMENTÁRIOS CRÍTICAS SUGESTÕES******* *********************************************AQUI*******************************************